Mary de Sá. Blog

O que Impede as Pessoas de se Tornarem Grandes Líderes?

Na maioria das vezes, o líder que deseja ser grande não consegue identificar o que especificamente o prejudica e o impede de crescer, realizar seus objetivos e metas, relacionar-se melhor com os outros e realizar seus sonhos.

Muitas vezes a causa de tanta dor e frustração, está no fato de não ser quem ele realmente é, ou por não conseguir influenciar as pessoas da maneira como gostaria, sentindo-se estressado, ansioso ou angustiado. E a causa desta dor está exatamente dentro dele mesmo. O Ego!

A falta de consciência da causa raiz do problema é o que dificulta a criar soluções e se torna quase impossível promover mudanças duradouras.

O líder egóico, não admite que comete falhas, não aceita feedbacks honestos e quer que a mudança ocorra sem que ele nada faça para que isso de fato aconteça.

Todos nós trazemos, quando nascemos, o DNA do ego. Por isso suas manifestações são tão sutis à nossa percepção e nos sentimos incapazes de identificar com facilidade a causa de tantos desacertos e insatisfações, mesmo quando acreditamos estar fazendo o melhor que podemos.

Agora imagine o estrago que um líder egóico produz em sua vida, na vida das pessoas que lidera e na empresa como um todo. O ego faz com que a pessoa neglicencie o bem maior e se coloque no centro de tudo. Ela chega a se ver como o centro do universo e a ideia do bem maior lhe soa estranha e incompreensível. No entanto, o ego deixa pistas.

Identifique as Pistas de um Líder Egóico:

 

1ª Pista: O falso orgulho. É quando ele começa a pensar mais em si mesmo mais do que deveria. O líder começa a forçar, a pressionar em busca de reconhecimento de mérito e a pensar que a liderança é algo a ser exercido para benefício próprio, em vez de beneficiar a seus liderados.

2ª Pista: Passar boa parte do tempo se autopromovendo. Segundo Jim Collins, em seu livro Good to Great – “quando as coisas vão bem para os líderes autosservidores, esses se olham no espelho, batem no peito e proclamam para eles mesmos como são bons. Quando as coisas vão mal, olham pela janela e culpam os outros.

3ª Pista: Pensar que você é menos do que realmente é. Ficar obcecado com suas falhas e consigo mesmo. Nesse caso ele passa boa parte do tempo se protegendo. Dificilmente acredita estar bem. Como alerta Robert S. McGree, “seu valor próprio é a soma do seu desempenho com as opiniões dos outros”. Pensar assim seu valor próprio fica instável, por que seu desempenho varia diariamente, e as pessoas geralmente são volúveis, ou seja, se movem, mudam de direção e de opinião com frequência.

A dúvida sobre si mesmo vem da falta de autoestima, e isso faz com que o líder sofra diariamente acreditando ter menos valor do que os outros. Enquanto que aqueles que apresentam falso orgulho, se comportam como se valessem mais do que os outros. No entanto, esses, camuflam mais e agem como se fossem realmente as únicas pessoas importantes do mundo.

Os liderados são as grandes vítimas dos líderes autosservidores ou egóicos, de duas maneiras diferentes:

  • primeiro,  quando atuam através do falso orgulho, eles são líderes indecisos e sua eficácia é corroída. Se escondem atrás da postura de “autoconfiança” e são chamados de “controladores”, são ávidos por poder e controle.
  • segundo, quando são movidos pelo medo, e são rotulados como “chefes que não fazem nada”. Geralmente, são aqueles que nunca estão por perto, fogem dos conflitos, são pouco prestativos e não apoiam seus colaboradores em momentos decisivos.

Não se assuste, se ao ler essas pistas você se identificou com algumas delas, sentiu algum desconforto ou mal-estar. A maioria de nós sofre um pouco de falso orgulho e de dúvidas a respeito de nós mesmos, porque tudo se resume ao ego.

Mas fique tranquilo, nem tudo está perdido, para nos tornarmos grandes líderes, precisamos desenvolver a vontade e a humildade. A força de vontade é a principal virtude do ser humano que movimenta todas as demais. A vontade é determinação de seguir em frente com foco na visão, missão, valores e propósito.

A humildade nos ajuda a compreender que liderança não é para servir a si mesmo e sim para cuidar das pessoas e de suas necessidades.

Todos podemos nos tornar grandes líderes  – a essência de servir ao próximo, ser um ponto de equilibrio e de direcionamento para os liderados, está pautado na verdadeira humildade. Começando pela pergunta, diante do espelho: “O que eu poderia ter feito de forma diferente que permitiria que as pessoas chagassem a usar seu potencial máximo?” quando as coisas vão mal.

Conte comigo para um processo de coaching para alavancar sua carreira na liderança e alcançar um novo patamar! Entre em contato pelo e-mail contato@marydesa.com